Como serão as relações humanas e profissionais após pandemia?

Como serão as relações humanas e profissionais após pandemia?

Como se relacionar com o tempo na pandemia?

Como serão as relações humanas e profissionais após pandemia?

Cultura, Pesquisa e Sociedade.

O olhar de pesquisadores sobre os temas emergentes na sociedade.

Ao redor dessas e outras questões relevantes na sociedade contemporânea, Silvana Bragato, doutora em ciência pela USP, atuou como gerente da divisão de administração e controles de qualidade da Cia. Nacional de Abastecimento,  assistente técnica do Programa Mundial de Alimentos PMA/FAO, aborda a economia circular para o pós pandemia, do ponto de vista das relações do trabalho, o Prof. Dr. Ladislaw Dowbor, titular da Pós Graduação da PUC/SP, consultor de diversas agências das Nações Unidas e consultor do Secretário-geral da ONU nos anos 1980, na área de assuntos políticos especiais, discute as novas relações humanas frente ao trabalho diante do Estado, na área da saúde a Prof.ª Drª Luciene Figueiredo, docente permanente e vice coordenadora do Programa de Pós Graduação em Odontologia e Pró-Reitora de Pós Graduação, com mais de 100 artigos publicados em periódicos internacionais qualificados no índice H32, discorre sobre a Ética nas pesquisas e implicações na sociedade, Daniel Pansarelli, doutor em educação na área de Filosofia e Educação aborda as patologias sociais do presente, ainda na área da saúde, Drª Gisela Nunes, psicóloga clínica, especialista em psicopatologia e saúde pública pela USP, profissional atuante há mais de 20 anos, compartilha sua experiência em tratamentos de transtornos psiquiátricos sob a óptica da psicologia humanista, no programa a historiadora Claudine Melo Dutra, pós graduada em Educação, Cultura e Relações Étnico – Raciais, discute o conceito de raça, eugenia embasada no “Darwinismo Social”, e das teorias do médico legista e psiquiatra Nino Rodrigues, Juliano Moreira e Franz Fenon. No campo dos Direitos Humanos, a experiência a professora Rocio Pilar, atuante da equipe do Projeto de Acolhimento aos Usuários Imigrantes ao SUS da Organização Mundial da Saúde e Organização Pan-americana de Saúde – OPAS, acompanhada do professor Nicolas Neves, graduado em Relações Internacionais pela USP, ex coordenador de viagens educacionais pelos Direitos Humanos entre Palestina e Israel, relatam suas experiências frente ao programa de acolhimento de imigrantes que buscam o SUS na periferia de São Paulo.

Na área da cultural, a reflexão do historiador Célio Turino, formado pela UNICAMP, idealizador e gestor do Programa Cultura Viva, com mais de 2.500 Pontos de Cultura, espalhados em mais de 1100 municípios, atendendo diretamente 8 milhões de pessoas, conforme dados do IPEA, coautor da recém criada Lei Aldir Blanc de emergência cultural, discorre sobre a cultura do afeto, e da capacidade de transformação por meio da cultura. Guilherme Varella, doutor pelo Departamento de Direito de Estado da Faculdade de Direito da USP,   apresenta um panorama dos Direitos e Políticas Culturais no Brasil, e comenta sobre o Sistema Nacional de Cultura, que previa transformar o sistema aos moldes do SUS, permitindo à sociedade o direito ao acesso a cultura como bem universal, Marcos Pardim ex-secretário de cultura de Salto, e atual diretor de cultura do município de Campo Limpo paulista, apresenta estudo de caso, de como conceitualmente e na prática uma cidade de 120 mil habitantes trabalhou a transversalidade e as potências da cultura na construção identitária e cidadã da sociedade, ainda no campo da cultura e cidadania, a influência da CONTRACULTURA sobre a cultura do século XXI, e as atividades poéticas que abarcaram as décadas de 1950,1960, 1970 e 1980, dinâmica conduzida  pelos professores e escritores Fabiano Fernandez Garcez e César Magalhães Borges, “Da Vinci, Maquiavel e eu”, uma aula comentada sobre o monólogo criado pelo ator e diretor Tadeu Di Pietro, e por fim um sarau sobre a obra do poeta e declamador paraense Celso de Alencar. Aclamado pela crítica especializada, o crítico Cláudio Willer, afirma que se trata do mais enfático poeta contemporâneo brasileiro, enquanto o compositor e poeta Jorge Mautner, o considera um poeta da 4ª dimensão, escandalizador e libertário. Já o cineasta Carlos Rienchenbach, sintetiza: “Celso Alencar é, sem nenhum exagero, um dos maiores poetas brasileiros em atividade. Sua poesia blasfema e despudorada é da estirpe de Pasolini, Rimbaud, Leautréamont e todos os nossos malditos maiores”.

O curso “Cultura, Pesquisa e Sociedade” idealizado em parceria com a Associação dos Ex Alunos USCS – AEXA, visa contribuir na formação e ampliação do repertório cultural dos interessados.

A iniciativa propõe uma série de encontros on line com conceito “Digital + ao Vivo”, onde os participantes discutem em tempo real com os professores, tendo a Ciência, a Arte e a Cultura como fio condutor e elemento de aproximação. São debates e reflexões sobre temas transversais e emergentes na sociedade,

As atividades são de curta duração alinhadas às diretrizes do MEC em respeito as Atividades Acadêmicas Curriculares e Complementares (AACC), divididas em três eixos: a) Acadêmico – Científico; b) Cultura e Cidadania, c) Arte e Ciência. Curso oferece certificado aos participantes com frequência mínima de 75%

Investimento: 2 parcelas de R$ 140,00 – cartão | boleto bancário

Inicio do curso: 15 de outubro – Término 17 de Dezembro

Aulas as quintas feiras das 19 às 22h – Plataforma Zoom

Para acessar a programação atualizada: www.iddeia.org.br

(clique no menu cursos para acessar programa, conteúdos e inscrição).

E-MAIL: [email protected] – wataspp: 11-98493-6161

 

Curadoria:

Instituto Iddeia Cultura e Pesquisa

Pedro Ferreira – Secretário-Geral

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *